Comportamento empreendedor e gestão de pessoas

gestor_educacionalProf. Guilherme Mendes

A Educação é um processo de relações e dinâmicas que depende da atuação de pessoas. São as pessoas que movem a administração e os empreendimentos de uma maneira geral. A gestão de pessoas envolve as ações, as atitudes e o uso de recursos para o alcance de resultados.

Primeiramente, explicitam-se alguns padrões de competência de gestão na escola. De acordo com Lück (2009, p. 81), o diretor / gestor de uma maneira geral seria responsável por:

  • Promover a gestão e a organização do trabalho coletivo na escola, tendo em vista os objetivos de formação e aprendizagem dos alunos.
  • Promover a prática de bom relacionamento interpessoal e comunicação entre todas as pessoas da escola.
  • Desenvolver na escola ações e medidas que a tornem uma verdadeira comunidade de aprendizagem, na qual todos aprendem de forma colaborativa.
  • Envolver de maneira sinérgica todos os componentes da escola, motivando e mobilizando talentos para a articulação de trabalho integrado, voltado para a realização dos objetivos educacionais e a melhoria do desempenho profissional.

Todos os itens listados acima compreendem basicamente o trabalho com enfoque humano. Compreende-se que a gestão desenvolve potenciais líderes, que, através da dedicação, colaboração e uso dos recursos educacionais, são capazes de solucionar problemas, enfrentar desafios e promover o desenvolvimento pessoal e interpessoal.

A gestão de pessoas depende da colaboração e do envolvimento interpessoal, mas depende também da produtividade e eficiência humanas. Para Lück (2009, p. 82), a vitalidade da escola, na promoção da educação de qualidade, centra-se na competência das pessoas que a compõem e realizam o fazer pedagógico, ou seja, a escola não se limita apenas aos recursos, subsídios e planos de ação disponíveis, mas principalmente do comprometimento e capacidade de ação coletivamente organizada.

A partir do pensamento do parágrafo acima, é possível relacionar a dinâmica da gestão de pessoas com os objetivos e pertinências do comportamento empreendedor, que por sua vez, caracteriza os traços típicos de personalidade e ação diretiva (motivação, autoconfiança, energia para realizar, habilidade de relacionamento, persistência, liderança carismática, entre outros).

O padrão de comportamento empreendedor opera em sintonia com a gestão de pessoas porque envolve habilidades específicas de desenvolvimento humano, e principalmente porque envolve uma visão compartilhada sobre os objetivos e inspirações educacionais.

Para Senge (1990, p. 43), uma ideia sobre liderança que inspirou as organizações durante milhares de anos foi a capacidade de ter uma imagem / visão compartilhada de futuro. Nesse caso, é difícil pensar em uma organização que tenha se mantido em uma posição de grandeza na ausência de metas, valores e missões profundamente compartilhadas na organização.

O parágrafo acima sugere que a organização de um sistema qualquer independe dos serviços e produtos que oferece, e que o sucesso das organizações depende de reunir pessoas em torno de uma identidade e destino comuns.

Os líderes, de acordo com Bergamini (2009, p. 67), dedicam grande parte da sua atenção às pessoas e não às estruturas ou sistemas, de forma que, ao delinear as ações dos líderes, propõe-se a obrigação de capacitar seus subordinados a se suplantarem, o que significa fornecer a eles oportunidades de desenvolvimento contínuo através da educação e do treinamento ao longo do trabalho.

Capacitar pessoas implica em estar atualizado com os objetivos e tendências educacionais, bem como agir com dedicação em relação as metas que se pretende atingir na organização educacional. O comportamento empreendedor requer, de acordo com Dornelas (2001, p. 38), o comprometimento de tempo e o esforço necessário para fazer a empresa crescer, e que para isso, é necessário correr riscos calculados, tomar decisões críticas e que não se desanime com falhas e erros.

Compreende-se que a gestão de pessoas envolve a dinâmica da organização como parte intrínseca da cultura em que se vive. Cury (2000, p. 103) relata que, atualmente, pode-se dizer que vivemos numa sociedade eminentemente organizacional. Nas sociedades complexas, o homem, em todas as etapas de sua vida, desde o nascimento até a morte, depende das organizações, é controlado por elas e nelas passa maior parte do seu tempo. Por outro lado, a sociedade contemporânea, altamente complexa, de grandes e sofisticados sistemas organizacionais, atribui um alto valor à competência e à eficácia.

A escola trata de uma organização social, que compreende e administra suas complexidades e competências. Ela não resume suas especificidades ao ramo puramente administrativo e limitado de recursos humanos. Nisso complementa Lück (2007, p. 27) que a gestão escolar se assenta sobre a mobilização dinâmica do elemento humano, sua energia e talento, coletivamente organizado, voltados para a constituição de ambiente escolar efetivo na promoção de aprendizagem e formação dos adultos.

De forma abrangente, pode-se afirmar que a gestão de pessoas envolve todos os processos humanos. Para Lück (2009, p. 83), os elementos fundamentais da gestão de pessoas são:

  • Motivação e desenvolvimento de espírito comprometido com o trabalho educacional;
  • Formação de espírito e trabalho de equipe;
  • Cultivo de diálogo e comunicação abertos e contínuos;
  • Inter-relacionamento pessoal orientado pelo espírito humano e educacional;
  • Capacitação em serviço orientada pela promoção de um ambiente centrado na aprendizagem continuada;
  • Desenvolvimento de uma cultura de avaliação e autoavaliação contínua de desempenho.

Paralelamente ao processo de comportamento empreendedor nas empresas, os elementos expressos fundamentais da gestão de pessoas estão interligados ao desenvolvimento pessoal que caracteriza o processo de liderança em uma organização. Apresenta-se a seguir um quadro comparativo com os elementos da gestão de pessoas expressa por Lück (2007) e o quadro de tendências e habilidades mais frequentes nos líderes, de Bergamini (2009, p. 101):

QUADRO COMPARATIVO – ELEMENTOS DA GESTÃO E HABILIDADES DOS LÍDERES

Elementos fundamentais da gestão de pessoas

Traços / Habilidades mais frequentes nos líderes

Motivação e comprometimento com o trabalho educacional

Ambicioso e voltado para a realização / Persistente / Desejoso de responsabilidade

Formação de espírito e trabalho de equipe

Adaptável às situações / Cooperador / Conhecedor das tarefas do grupo

Diálogo e comunicação abertos e contínuos

Conceitualmente habilidoso / Verbalmente fluente

Inter-relacionamento pessoal

Desejoso de influenciar os demais / Alerta ao meio social

Orientação de serviço com foco na aprendizagem continuada

Criativo / Ambicioso e voltado para a realização

Desenvolvimento de uma cultura com avaliação e autoavaliação de desempenho

Assertivo / Conhecedor das tarefas do grupo

O quadro relaciona os elementos da gestão e a correspondente habilidade dos líderes, de forma complementar e de acordo com as especificidades da gestão. Por exemplo, no primeiro tópico, a “motivação e comprometimento com o trabalho educacional” exige do líder o “desenvolvimento ou comprometimento com os objetivos educacionais, seja de forma ambiciosa, voltada para a realização, ou desejosa de responsabilidade”, como citado no quadro de habilidades.

De alguma forma, pelo fato de as competências do comportamento empreendedor estarem inerentemente ligadas aos padrões psicológicos elementares, como a motivação, a persistência e o desempenho, compreende-se que a linha de atuação do gestor não apenas depende da atuação e disposição no ambiente educacional, mas também da execução de estratégias e competências dos subordinados. Sendo assim, considera-se o comportamento empreendedor e a gestão de pessoas como elementos a serem refletidos e desempenhados mutualmente nas ações e práticas educacionais.

Referências para consulta:

  • BERGAMINI, C. W. O líder eficaz. São Paulo: Editora Atlas, 2009.
  • CURY, Antonio. Organização e métodos: uma visão holística. São Paulo: Atlas, 2000.
  • DORNELAS, José Carlos Assis. Transformado ideias em Negócios. Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2005.
  • LÜCK, Heloísa. Liderança em Gestão Escolar. Série Cadernos de Gestão. vol. IV. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2008.
  • LÜCK, Heloísa. O caminho da gestão e a liderança escolar. Revista Gestão em Rede. n. 85, p. 16 – 17, mai. 2008.
  • LÜCK, Heloísa. Dimensões da gestão escolar e suas competências. Editora Positivo: Curitiba, 2009.
  • SENGE, Peter. A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende. Rio de Janeiro: Editora Best Seller, 1990.

Leia também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s