Sensibilidade funcional e equilíbrio

tai-chiProf. Guilherme Mendes

Algumas pessoas são capazes de façanhas consideradas “sobrenaturais”, como os lendários mestres das artes marciais e das terapias alternativas, que, em estado de profundo relaxamento e sensibilidade, são capazes de inclinar o próprio corpo mediante o pouso e o impacto de um inseto, por exemplo.

As pessoas apreciam conhecer tais histórias, mas a descrição do exemplo acima reflete apenas as capacidades naturais aprimoradas em alto grau pela prática consistente. Todos são capazes de desenvolver um alto grau de sensibilidade funcional e relaxamento.

Sensibilidade funcional é o aprimoramento dos sentidos, aliado à vigília da mente e do corpo. É também um recurso que permite ao ser humano identificar os elementos para se mover com eficácia, não desperdiçando a energia vital.

A sensibilidade contribui especificamente para a pessoa:

  • Desenvolver o equilíbrio, o reflexo vertical, a capacidade de identificar os desvios posturais do corpo e corrigi-los, a coordenação, a sincronia e o ritmo, a velocidade de reflexo e a capacidade de reagir com rapidez aos estímulos.
  • Aprender com mais eficiência e qualidade, uma vez que a tensão ou rigidez do corpo prejudica a concentração e o foco da mente na atividade. Se o corpo encontrar o equilíbrio através do reconhecimento neuromuscular da tensão, o resultado será um desempenho com mais produtividade e energia para toda e qualquer atividade do dia.

Os atletas mais eficientes não são necessariamente aqueles que trabalham mais arduamente, e sim aqueles que sabem como utilizar o corpo da maneira mais eficiente. Eles reconhecem que a verdadeira força e velocidade são acompanhadas de suavidade e ausência de tensões desnecessárias.

À medida que o praticante vai aprimorando a sensibilidade  do corpo, um atributo pode ajudar a desenvolver outro, como o equilíbrio pode levar à coordenação e à flexibilidade, por exemplo. Com o progresso do treinamento, aprende-se a eliminar bloqueios sutis da aprendizagem.

As crianças são exemplos de eficiência corporal e sensibilidade funcional eficaz, pois as tensões que os adultos vivenciam são muito mais pertinências peculiares de um mundo exigente e competitivo. As crianças, por sua vez, são livres das pressões do mundo do trabalho e despreocupadas em relação ao futuro. Elas simplesmente vivem o presente, e não se limitam com os excessos do pensamento, como os adultos.

Isso não quer dizer que nós, adultos, não sejamos capazes de controlar mente e corpo em prol da sensibilidade e eficiência funcional. Precisamos cada vez mais estabelecer prioridades que nos estimulem a entrar em sintonia com as necessidades interiores, de forma a adquirir conhecimento e ânimo para procurar viver de maneira melhor.

Como desenvolver a sensibilidade funcional no dia-a-dia?

O primeiro passo para desenvolver a sensibilidade nas atividades cotidianas é “reconhecer” as tensões que acompanham o corpo nas ações diversas. Essas tensões são reforçadas por momentos de estresse e pressão? Em quais momentos do dia elas são mais agudas? Adquirir sensibilidade também é um processo de autoconhecimento.

O segundo passo é aprimorar a qualidade da “respiração”. Não espere sobrecarregar as emoções e a funcionalidade do corpo para então estimular a respiração profunda e consciente. Ao primeiro momento do dia, observe sua respiração, pois ela abrirá o caminho para um melhor equilíbrio e força mais efetiva.

O terceiro passo é estar atento as “energias emocionais”. Se as energias fluem com liberdade, motivação e satisfação, mente e corpo responderão de forma positiva aos estímulos diários. Se, por outro lado, as energias fluem com ansiedade, inibição e desarmonia, o fluxo da correnteza vital é bloqueado, e desperdiçamos considerável energia e tempo disponível.

O quarto e último passo – e não menos importante – é investir na prática de atividades físicas, dedicando-se ao treinamento da força ou das atividades aeróbicas com regularidade. Tenho reforçado ao longo dos textos da categoria “qualidade de vida” os inúmeros benefícios que a prática regular de exercícios pode proporcionar, a nível mental, emocional, físico e espiritual.

No processo gradual do treinamento da sensibilidade, você deve ser paciente e não se desesperar nos primeiros momentos. Os ajustes são necessários e mesmo o desconforto é inevitável para que o corpo se ajuste às novas exigências, devido ao ritmo frenético de vida que o adulto vivencia atualmente. Não é fácil quebrar com as amarras de um mundo desenfreado.

Um estado de integração da mente e do corpo, de harmonia entre o interior e o exterior, é o alvo desejado por muitas pessoas que pretendem ter mais qualidade de vida. Para isso, é preciso investir sérios esforços no autoconhecimento e no treinamento das habilidades, pois, como já escrevi em outro texto, “saber de cabeça é não saber nada”.

Um abraço!

Guilherme Valentim Mendes / E-mail para contato: gvm86@uol.com.br

Referência para consulta:

– MILLMAN, D. O atleta interior – como atingir a plenitude do seu potencial físico e espiritual. São Paulo: Editora Pensamento, 1994.

Leia também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s